Crea-SP inicia força-tarefa na região do Alto Tietê nesta segunda

O Crea-SP inicia na manhã do dia 13 de maio a sexta e última etapa das ações de fiscalização programadas para o primeiro semestre de 2019. O trabalho da força-tarefa, constituída de 20 duplas de Agentes Fiscais, começa, simultaneamente, em Taubaté e Santo André, abrangendo municípios das 6ª e 7ª Regiões Administrativas do Crea-SP, as quais incluem Mogi das Cruzes e outras cidades da região. A equipe de fiscalização visitará, em uma semana, cerca de 80 cidades do Alto Tietê, Vale do Paraíba e Grande ABCD.

As ações integram o programa anual de fiscalização do Conselho, que, desde o início do ano, já esteve em mais de 350 localidades do Estado.

No primeiro semestre de 2019, os Agentes Fiscais do Crea-SP estão fiscalizando o exercício profissional em diversas áreas de mineração, águas subterrâneas, barragens de contenção e hidrelétricas, indústrias de todos os segmentos (principalmente as vinculadas aos setores de petróleo, alimento, química, farmacêutica, borracha, cerâmica, bebida e agroindústria) e as chamadas “obras de arte da engenharia” (pontes, passarelas, túneis e viadutos), além de estabelecimentos hospitalares, a exemplo de anos anteriores.

Os resultados desta sexta e última semana de fiscalização, que se encerra dia 17, serão apresentados em reunião do Colégio Regional de Inspetores a ser realizada em São José dos Campos, no dia 5 de julho.

No dia 6 de julho, o Crea-SP realiza a sexta etapa do Congresso Regional de Profissionais (CRP), em preparação para o Congresso Estadual de Profissionais (CEP) e para o Congresso Nacional de Profissionais (CNP), promovidos pelo Confea a cada três anos.

A respeito do trabalho que as forças-tarefas vêm desenvolvendo, o presidente do Crea-SP, Engº. Vinicius Marchese Marinelli, vem reforçando que, nos últimos dois anos, já vinham fiscalizando algumas dessas atividades, como as dos estabelecimentos de saúde públicos e privados e seus equipamentos médico-hospitalares, além de outras que pudessem prejudicar o meio ambiente, em usinas de açúcar e álcool, empresas de extração de minérios, poços artesianos, aterros sanitários, indústrias e empreendimentos da área agronômica, como a produção de sementes e mudas, armazenamento e coleta de embalagens. “Também dedicamos especial atenção aos grandes empreendimentos e obras de grande porte, parques de diversões e outros locais de entretenimento, e ainda as concessionárias de serviços públicos. O que estamos fazendo em 2019 é a continuidade de um planejamento que iniciamos nos primeiros dias da nossa gestão”, completa.